Receba novidades

Blog

Normas Técnicas aplicáveis em Fontes Chaveadas II

Normas Técnicas aplicáveis em Fontes Chaveadas II

20 novembro 2019

As normas de Compatibilidade Eletromagnética (EMC) estão entre as mais importantes normas que devem ser atendidas pelas fontes chaveadas.

Para melhor compreensão pode-se separar as normas de compatibilidade eletromagnética em duas abordagens diferentes: EMI (Eletromagnetic Interference) e EMS (Eletromagnetic Susceptibility).
A primeira diz respeito a interferência eletromagnética representada pelas emissões, também denominadas de ruído, radiadas e conduzidas.
O ruído conduzido é aquele gerado pela fonte chaveada e que se propaga pela fiação da alimentação da entrada (fase, neutro e terra).

O ruído radiado é propagado pelo ar. Ambos os ruídos são medidos através dos campos elétricos gerados e propagados pelos respectivos meios e a medição do campo elétrico se deve ao fato de que corresponde, tendo relação direta, ao campo magnético gerado.

Na norma técnica mais utilizada, a CISPR22, são estabelecidos os limites permitidos para as emissões ou ruídos. Existem limites de emissão para os equipamentos de uso comercial (Classe A) e para equipamentos de uso residencial ou pessoal (Classe B). Os limites para os equipamentos de uso comercial são mais flexíveis do que os limites para equipamentos de uso residencial ou pessoal chegando a ter uma relação de 1:3 no valor máximo destes limites para determinadas frequências.

Para o ruído conduzido, a medição é feita entre frequências que vão de 150KHz a 30Mhz enquanto que para ruído radiado a medição é feita entre 30MHz e 1GHz.

No Brasil a CISPR22 é adotada através da NBR IEC CISPR22:2013 e é aplicável a praticamente todos os aparelhos e equipamentos eletrônicos de uso genérico. Para equipamentos médicos existe uma norma específica, e para equipamentos eletrônicos instalados em automóveis é mais comum se especificar o atendimento pela norma CISPR25.

 

Normas técnicas aplicáveis em Fontes Chaveadas
13 MAIO 2019

 

As fontes chaveadas, especialmente as alimentadas pela tensão da rede, precisam atender a uma série de normas técnicas com o objetivo de preservar a integridade física das pessoas que entram em contato com os equipamentos e máquinas em que são utilizadas.

Duas normas podem ser consideradas como as mais importantes, e seu atendimento é imprescindível:

1. Norma de Compatibilidade Eletromagnética (EMC);
2. Norma de Segurança (Safety).

Sobre o atendimento das normas de EMI: existem várias normas aplicáveis como a CISPR22. A diferença entre as normas está nos limites de ruídos emitidos.
Atender a estes limites é muito importante devido a possibilidade de interferência da fonte chaveada em equipamentos próximos e vice-versa. A interferência do liquidificador na TV é um exemplo clássico do não atendimento das normas de EMC.

As normas de segurança, especialmente segurança elétrica, são as mais críticas, uma vez que o não atendimento pode resultar até mesmo na morte de um usuário de um equipamento cuja fonte apresente problema. Infelizmente, notícias de mortes de pessoas ao utilizar um celular sendo carregado é um exemplo do não cumprimento das normas de segurança elétrica.

Outras normas técnicas complementares estabelecem o cumprimento de questões variadas como resistência a vibrações, limites de operação em temperatura, resistência a atmosferas agressivas e atmosferas salinas, resistência a impactos diretos, entre outras.

Acompanhe os próximos posts e conheça mais sobre o assunto normas técnicas aplicáveis em fontes chaveadas.

 

 

Compartilhar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no Linkedin

Comentários